domingo, 19 de dezembro de 2010

PARTIDO SOCIALISTA PASSIVO


Caras LPP's,
Ah, pra quem pediu, LPP é a graciosa sigla de "Loucas Por Pau". Ou seja, nós e todas as pessoas que adoram esse maravilhoso membro. Para completar meus posts de hoje, trago uma esperança para todas nós e sugestão para as bees do país inteiro.
Estava assistindo alguns filmes sobre políticas glbt (eu até que gosto pois sou uma viada consciente e politizada) e pensei em uma coisa memorável. E se existisse um partido constituído só por passivas? Calma, lindas... nada de sabão! Nós estaríamos unidas para conseguir nossos objetivos e anseios. Pensei em algo como um partido socialista passivo, que tal?
Socialista porque prima pelo social das bees, por que prioriza que todas tenham igual acesso ao cara ativo, marido da vizinha, ou mesmo o filho dela, recém saído do exército.
A primeira coisa que um(a) candidato(a) do PSP faria mas próximas eleições para prefeito, seria garantir homens ativos para todas as passivas. Não sei como fariam isso, mas se os outros candidados podem prometer o mundo, porque nós não podemos? Estamos desesperadas. Não existem ativos em lugar nenhum. Aqui, por exemplo, é 10 passivas para cada 1 ativo (dizem as estatísticas mais animadas, pois acho que é bem mais - incluindo-se aqui as versáteis que, para mim, não passam de um bando de passivas dadeiras de rabo.
E eu tenho um exemplo pertíssimo. Conheçemos uma determinada amiga nossa que conheceu um boy, ops, uma viada não me lembro mais onde. Ela, insadecida por pau (lê-se IPP) que é, até mais que todo mundo, começou a ficar séria, mudando a voz, o comportamento, toda 'homemzinho'. Outro dia soube que ela tava comendo o namorado. Minha nossa... isso é demais! Uma viada daquela que deu já pra mais de 100 homens (também segundo uma estatística animadora, rsrs) agora é versátil. Você, minha amiga, daria pra uma viada versátil? Lindas... se eu dei um dia era porque eu não sabia de nada e a bee era atriz de Hollywood.
A crise tá ficando tão grande que as passivas estão ficando e trepando entre si. Sim, foi justamente isso que vocês escutaram. Eu sei que é notícia demais pra vocês, mas tenho que falar. Sob a filosofia "a menos passiva come a mais passiva", as passivas procuram sobreviver a falta de ativos 100%. Nessa hora, quem se virar de bruços mais rápido ou morder a fronha primeiro, ganha a peleja. Eu acho que é o final dos tempos. Eu não sei mais de nada. Por favor, não me deixem virar versátil. Se vocês me virem falando isso aqui, me prendam porque estou louquinha do juízo.
Pois então... sonhei com o partido passivo. Como é socialista, pensei que poderíamos ampliar a "Corrente do Bem", com um sistema de computadores integrados por todo o país. Ah, não sabe o que é a corrente do bem? Ah, lindas... é artifício que as passivas criaram para sobreviver a crise: quando você encontrar um cara ativo, você o repassa às amigas. Mas já viu uma corrente por toda a nação? Ia ser um luxo, chegar em São Paulo, por exemplo, e já ter a indicação do ativo que ia te comer naquele dia.
Quem sabe um dia. Deixo aqui o apelo às passivas que me lêem. Precisamos fazer alguma coisa. Maria dos Eguns já me disse que está preparando uma grande corrente astral pra que possamos estar juntas e interconectadas para tentar melhorar a situação. Mas cho que vai ser preciso reza braba... ah, se vai! Até o próximo post, beijos!!

Nenhum comentário: